É a cigana Sandra Rosa Madalena […]

fevereiro 14, 2009

Estava na banca, com uns amigos, quando me deparo com a “seção” de revistas TEX antigas em promoção. Sim, eu gosto de TEX.

Peguei a nº 101, O Filho de Mefisto, de julho de 1979. Cr$ 16,00 para quem adivinhar quem encontrei ao ver uma propaganda na “outra capa”, ou coisa parecida:

dsc00029

“Quero vê-la sorrir, Quero vê-la cantar, Quero ver o seu corpo dançar sem parar!”

Já estava querendo comprar, mesmo não estando em estado considerável, mas depois disso… PODE PREPARAR UMA SACOLA, RATÃO!

E mais 1000 internetz para quem tiver essa tal revista “Romântica” com o REI CIGANO!

Anúncios

Y: The Last Man ou Se você vai de xaxado eu vou de Brian K. Vaughan […]

setembro 1, 2008

Eu não devo ter contado a vocês a divina iluminação que, como um raio, me atingiu na semana passada.

Pois contarei agora: estava voltando do colégio, e como é habitual de minha parte, passei na banca que fica em frente da rodoviária no caminho.

Revistas velhas em promoção, Turma da Mónica Jovem (não foi eu que fiz a scan, mas acho que não preciso dar crédito ao velho Anônimo; Anon, eu não te amo, a não ser que você tenha seios – não tetas de Ovomaltine), essas coisas de sempre. Mas, de súbito, eis o que me aparece:

MACACO!!

Não preciso dizer que, mesmo custando relativamente caro (o que, para quem está acostumado à sofrer nas mãos da Panini, não é  verdade), comprei com um grande sorriso na cara. É, eu sei, estamos em Setembro e essa edição é de Julho, mas você deve conhecer a nossa amiguinha “Distribuição Setorizada”. Whatever: eu moro no inferno mesmo […] depois voltei e comprei a número dezessete, e o meu bolso implorou por misericórdia.

É, eu sei que vocês devem estar estranhando me ver lidar com tamanha surpresa com essa MARAVILHOSA obra, já que ela já é um pouco velha (afinal de contas, tudo é old na internet. Não importa se o último número saiu nas URSS da América em janeiro). Sim, eu já a conhecia. Sim, eu sei encontrar scans. Sim, eu tenho preguiça de ler no PC D:

A história é a seguinte, tetudos que estão vivendo em uma bolha: estava lá o mundo na santa paz sob o Sol de Satã quando todos os machos, eu disse TODOS? Bem, quase todos os machos começam a morrer, tipo… instantaneamente, por um motivo tão inexplicável quanto o aquecimento global (piada sem graça…). Sobram apenas Yorick Brown, um humano fracassado que – de vez em quando – descola uma grana com um truques de mágica, e o seu macaco (MACACO! MACACO!) capuchin Ampersand, que são obrigados à sair “EM RITMO DE AVENTURA!”  num mundo infestado por mulheres, nem todas desesperadas por sexo, claro.

Vale a pena acompanhar pela Pixel Magazine: a qualidade das outras séries (no dezessete, por exemplo, começou o também maravilhoso “Freqüência global“) é a melhor, afinal, são todas Vertigo ou Wildstorm, assim como a qualidade no papel (comparado com o SALGADO papel-higiênico da Panini Comics). Mas, se você está duro (POBRE!) ou não tem paciência de acompanhar “mês-a-mês”, ou é mais esperto que o Danilo aqui (que, convenhamos, é bem burrinho :O), no fórum do Rapadura Açucarada (F.A.R.R.A)  tem a série completa desde Fevereiro, acolá.

E eu acho que é só.